• Artigos

  • Relatos

  • Dicas e
    curiosidades

  • Eventos

  • Dicas de
    viagem

Calor e seca antecipam colheita na Europa

19/08/2015::Daniel Chaves

Um verão extremamente seco e quente deve provocar a antecipação da colheita em diversas regiões vinícolas da Europa.
Na Rioja a previsão é de que as uvas sejam colhidas de duas semanas a um mês antes do período considerado normal, depois de um mês de julho com um número incomum de dias com temperatura superior aos 40 graus centígrados. 
Na França algumas regiões passam por ondas de calor que lembram aquelas vistas em 2003 - meteorologistas franceses falam no terceiro mês de julho mais quente desde 1900. Isto, associado à seca prolongada, está resultando em uvas menores nas videiras, o que gera impacto direto na quantidade de vinho a ser produzida. 

Beaujolais e Borgonha são as regiões mais afetadas.Nesta última região registrou-se a menor quantidade de chuva desde 1949. Dijon, por exemplo, recebeu menos da metade da média mensal de precipitação e as temperaturas superaram os 35 graus com frequência. Chuvas no início de agosto aliviaram um pouco a situação, mas a expectativa ainda é de colheita antecipada e de uma produção menor devido à seca. Má notícia para os produtores e admiradores dos vinhos da Borgonha. Depois de três safras consecutivas prejudicadas pelo granizo, os preços tendem a continuar elevados. 

A expectativa quanto à qualidade, entretanto, é positiva. Essas condições acabam por contribuir para o surgimento de uvas saudáveis já que a baixa umidade desfavorece o aparecimento de doenças. O cuidado é apenas para evitar a sobrematuração das uvas, o que torna a antecipação da colheita crucial.    

 

  • Rex Bibendi
  • Enoteca Decanter
  • Vinho Site