• Artigos

  • Relatos

  • Dicas e
    curiosidades

  • Eventos

  • Dicas de
    viagem

A melhor estação do ano é a amizade!!!

//::Christovão de Oliveira Junior

No início de 2005, li em um dos fóruns que participo relato de um nosso cônfrade sobre um jantar apenas com vinhos top. Achei a idéia excelente e logo propus aos amigos do Belo Vinho que fizéssemos o mesmo em nosso jantar de fim de ano.

Idéia encampada pela maioria e que nos tomou todo o ano de planejamento: recolher uma cota mensal, ficar de olho nas promoções, discutir quais os vinhos seriam comprados, aproveitar viagens ao exterior de nossos cônfrades, etc, etc.

Planejar, esperar e sonhar com nosso jantar foi quase tão especial como o jantar. Quase, porque neste último sábado, tivemos a oportunidade de realizá-lo e o que pudemos experimentar, muito poucas coisas poderiam igualar. Desfrutar deste jantar na companhia de pessoas especiais, amigas de todo o ano e de coração, foi algo de extraordinário. Mais uma prova de que vinho e amizade formam um par imbatível.

Sentir a ausência de cônfrades e amigos que não puderam participar e fazer um brinde silencioso a eles ( desejando que no próximo eles possam estar conosoco ) é também a prova que o vinho se torna melhor ainda quando desfrutado junto daqueles que amamos.

E, para não me alongar muito, encontro como estes mostram que a amizade é a melhor estação do ano!



Cardápio e vinhos:


Welcome Drink: Moet & Chandon Reserve Imperial

Entrada: Cheese cake de Brie e salada crocante
Vinho: Champagne Joseph Perrier Cuvée Royale Brut 1996

Primeiro prato: Aspic de camarão e legumes com ragu de ervilhas
Vinho: Riesling Engelgarten 1999 - Marcel Deiss

Segundo Prato: Medalhão de salmão ao molho termidor e mangas
Vinho: Puligny Montrachet 1er Cru Champ-Canet 2002 - Jean-Marc Boillot

Terceiro Prato: Rouleau de cordeiro com pêras gratinadas
Vinhos: 1) Alión 2001 - Bodegas Alión
2) Ceparello 1998 - Isole e Olena

Quarto prato: Medalhão em crosta de nozes picante e molho de uva
Vinhos: 1) Barolo Bricco Rocche Brunate 2000 - Ceretto
2) Chateau Clerc Milon Gran Cru Clasée Pauillac 1996

Sobremesa: Salada de frutas frescas com zabaione
Vinho: Tokaji Azsú 5 puttonyos 1999 - Oremus


Comentários sobre os vinhos:

1) Moet & Chandon Reserve Imperial

A conhecida elegância da Moet & Chandon. Perlage elegante e intenso. No nariz um tostado acentuado e atraente e na boca uma acidez corretíssima. Possui agradável maciez e discreto amargor final. A sensação final é de um retro-olfato frutado com persistência média. Nota 89

2) Champagne Joseph Perrier Cuvée Royale 1996

Champagne surpreendente. Perlage finíssima e constante. Aroma complexo de frutas cítricas integrado com um aroma elegante de pão tostado, leveduras, ervas frescas e amendoas. Uma acidez muito acentuada, mostrando que ela ainda agüenta muitos anos na garrafa. Balanço perfeito de seus componentes.
Nota 94

3) Riesling Engelgarten 1999 – Marcel Deiss – 13%

Típico riesling com aromas complexos e muito finos. Mel, minerais, empireumáticos.
Na boca super equilibrado, redondo e com uma acidez muito correta. Corpo médio e retrogosto muito agradável e persistente. Nota 92


4) Puligny Montrachet 1er Cru Champ-Canet 2002 - Jean-Marc Boillot - 13%

Um dos destaques da noite. Vinho amarelo ouro com aroma excepcional; complexo e elegante, mostrando um floral delicioso ( acácia ), madeira muito sutil e integrado, maçãs frescas. Evolução constante na taça apresentando outras frutas frescas e alguns aromas minerais.
Na boca um vinho redondíssimo e extremamente agradável. Acidez, álcool e corpo inteiramente integrados. Retrogosto muito prolongado e delicioso. Recebeu de vários presentes o comentário de “o melhor ou um dos melhores brancos que já tomei”. Nota 96

5) Ceparello 1998 - Isole e Olena 13,5% ( 100% Sangiovese )

Vinho com 3 bichierri da Gambero Rosso e 91 pontos da Wine Spectator.
Um supertoscano típico com aromas complexos de frutas vermelhas maduras, baunilha, côco e um toque de tabaco. Na boca, um bom equilíbrio, com taninos presentes, elegantes, mas ainda um pouco rústicos. Final sedoso e prolongado. Nota 91

6) Alión 2001 - Bodegas Alión – 14% Ribeira de Duero

Um espanhol com 95 pontos de Robert Parker e que foi mais um dos destaques da noite. Vinho de uma cor profunda, quase negro. Lágrimas grossas, lentas e lindas. Aroma dos mais deliciosos e intensos da noite, mostrando uma mistura de café, canela, frutas negras e toques de couro de sela. Na boca, rico e potente. Equilíbrio perfeito entre acidez, álcool e taninos super finos. Nuances de especiarias com final longo e delicioso. Nota 96


7) Barolo Bricco Rocche Brunate 2000 – Ceretto - 14,5%

Barolo com 18,5/20 do Vini D’Italia e 94 pontos da Wine Spectator
Um Barolo para relembrar os dias de Piemonte. Vinho de aroma intenso e envolvente, apresentando fruta vermelha fresca, serragem, terra molhada e minerais.
Na boca a potência e a força típicas da casta. Taninos ainda um pouco rústicos, mostrando que o vinho ainda precisa de algum tempo de garrafa. Acidez correta e álcool bem integrado. Final longo e delicioso. Vinho que vai melhorar muito nos próximos 4 ou 5 anos. Nota 91+

8) Chateau Clerc Milon Gran Cru Clasée Pauillac 1996

Um Bordeaux de presence marcante. Aromas elegantes e complexos de fruta madura, especiarias, folhas secas molhadas e nuances de chocolate. Na boca macio e suculento.
Taninos muito elegantes e um final de boca sedoso e apetitoso. Vinho pronto para o prazer.
Nota 94

9) Tokaji Azsú 5 puttonyos 1999 – Oremus

O final perfeito. Vinho para relembrar a palestra de nosso Grande Mestre Tuffi no último Vamos à Montanha. Um vinho de meditação, de conversar com Deus. Quase dá para mastigar este néctar intenso e saboroso. Um encontro deste só poderia terminar come ele: OREMUS !!!!!


Os melhores da noite, escolhidos pelos 16 presentes ( duas escolhas para cada )
foram:

Primeiro lugar: empatados com 8 votos – Puligny e Barolo
Segundo lugar com 7 votos – Alion
Terceiro lugar com 4 votos - Bordeaux
  • Rex Bibendi
  • Enoteca Decanter
  • Vinho Site