• Artigos

  • Relatos

  • Dicas e
    curiosidades

  • Eventos

  • Dicas de
    viagem

Os Top Ten que se transformaram em Top Seven

04/05/2012::Christovão de Oliveira Junior

Neste ano decidi participar da degustação dos 10 vinhos escolhidos pelo júri especial da Expovinis como os Top 10 da exposição. Foi uma degustação paga (R$150,00), mas que representava a chance de dar uma sentada no meio da tarde para degustar alguns vinhos com tranquilidade e, certamente, com uma qualidade acima de média.

Foi ótimo participar da degustação e os vinhos não decepcionaram. Acredito que o júri fez um belo trabalho com o material que lhes foi oferecido.

Como a Expovinis tem uma imensa divulgação, assim como imensa cobertura da imprensa e principalmente de sites e de blogs vou deixar de comentar sobre membros do júri, critérios, etc. Só não posso deixar de fazer alguns comentários sobre fatos que deveriam ser muito bem avaliados pelos organizadores:

1 – Os vinhos foram escolhidos na semana anterior e antes do início da feira a relação dos vinhos já havia sido feita. Entretanto a apresentação foi feita sem o apoio de sequer uma folha de papel com dados dos vinhos ou um simples Power Point. Apresentadores não sabiam dados importantes dos vinhos e que todos na platéia queriam saber. Ainda bem que o Marcio Oliveira estava presente e foi classificado pelos colegas de júri como “o mais organizado do júri”. Fico feliz pelo amigo, mas triste pela falta de profissionalismo.

2 – Foi avisado que um de um dos vinhos havia apenas duas garrafas e que os 40 pagantes deveriam se contentar com “um pouquinho” dele. Pode isto?

3 – Luís Ramos Lopes
Clique para ampliar
da Revista de Vinhos de Portugal, teve de solicitar para ser servido do vinho que apresentava e ao pegar a taça não vacilou um segundo em avisar: o vinho está bouchonné! Isto pode acontecer em qualquer degustação. Só que quem estava com amostra da garrafa com defeito não teve o vinho trocado!

Para piorar: o stand do produtor era em frente a porta de entrada da sala de degustação. Só ficou sabendo do fato horas depois. Para mim, sem comentários.

Para mim a feira vem num crescente de qualidade e de organização mas fatos como estes precisam, e devem, ser corrigidos pela organização.

Foram apresentados pelos expositores um total de 191 amostras e o júri considerou que houve uma boa melhora no nível dos vinhos em relação a anos anteriores.

Indo agora ao principal, os vinhos escolhidos como os melhores em cada uma das categorias foram:

1 – Categoria Espumante Importado

Vencedor: Champagne Lanson Brut Rosé (NV) – clicar no vinho para ver a minha avaliação.
O vinho foi apresentado pela importadora Barrinhas e tem o preço de R$235,00 em São Paulo. Este vinho teve uma nota média no júri de 87,9 pontos.
Uma curiosidade deste Champagne é que ao contrário da grande maioria das Maisons da região a Lanson não faz a fermentação malolática deste vinho.

2 – Categoria Vinho Branco do Novo Mundo

Vencedor: Undurraga Terroir Hunter Sauvignon Blanc 2011 - clicar no vinho para ver a minha avaliação. O vinho teve a média de 87,6 pontos.
O vinho foi apresentado pela ABFLUG (Importadora nova que tem como um dos seus lemas ser a importadora que vai democratizar o vinho no Brasil). O site da importadora é www.abflug.com.br.
Para mim foi uma grande surpresa ver este vinho como o ganhador desta categoria. Não que ele seja ruim, longe disto. Mas para mim existem melhores Sauvignon Blanc no Chile e muitos, mas muitos brancos de qualidade superior no Novo Mundo e disponíveis no Brasil. Mas a escolha dos vinhos que concorrem é das importadoras, então...

3 – Categoria Branco do Velho Mundo

Vencedor: Trimbach Riesling Cuvée Frederic Emile 2004 - clicar no vinho para ver a minha avaliação.
Vinho apresentado pela importadora Zahil e que tem, em São Paulo, o preço de R$346,00 e que teve nota média de 87,6 pontos.
Este vinho que é elaborado com uvas de dois vinhedos Grand Cru da Alsácia é um legítimo representante de uma das minhas regiões do coração. Belíssimo vinho!!!

4 – Categoria Rosé

Vencedor: Chateau de Pourcieux Côtes de Provence 2011 - clicar no vinho para ver a minha avaliação.
Vinho apresentado pela Cantu e que teve nota média de 86,5 pontos.
Um vinho que ganha pela quinta vez o título na Expovinis; isto basta para falar de sua qualidade dentro da categoria.

5 – Categoria Tinto do Novo Mundo

Vencedor: Bellingham The Bernard Series SmallBarrel 2009 – África do Sul - clicar no vinho para ver a minha avaliação.
Apresentado pela Expand e que teve a nota média de 88 pontos.
Um belo vinho no melhor estilo do Rhône: mistura as castas Shiraz (75%), Mourvèdre (22%) e Viognier (3%). É uma pequena jóia da região de Paarl (pérola, em português).

6 – Categoria Tinto do Velho Mundo

Vencedor: Casa de Santa Vitória Touriga Nacional 2008 – Alentejo - clicar no vinho para ver a minha avaliação.
Vinho que ainda não tinha importador no Brasil e que teve uma nota média de 88,67 pontos.
Mais uma vez um Touriga Nacional do Alentejo é o melhor tinto do Velho Mundo na Expovinis. Um fato intrigante, ou não?

7 – Categoria Doces e Fortificados

Vencedor: Henriques & Henriques Medium Rich Single Harvest 1998 Madeira - clicar no vinho para ver a minha avaliação.
Vinho que teve a nota média de 93 pontos o que o faz o vinho, de longe, mais pontuado na Expovinis. Apresentado pela Zahil e que tem o preço de R$166,00 a garrafa de 500ml em São Paulo.
Um vinho elaborado exclusivamente com a Negra Mole e que representa não apenas uma das minhas regiões do coração, mas uma região que é certamente das minhas Top 3!!!
Uma curiosidade é que o produtor deste vinho me apresentou o vinho que segundo ele será o vencedor desta categoria no ano que vem: um BOAL 2000 SINGLE HARVEST. Fica aqui o registro e a opinião de que, levando em conta o vinho deste ano, este BOAL tem grande chance de cumprir a profecia!!!

Alguém pode perguntar, mas o concurso não era de TOP TEN?

Sim, para quase todo mundo foi TOP TEN. Para mim foi apenas TOP SEVEN, pois...

Clique para ampliar

 

  • Rex Bibendi
  • Enoteca Decanter
  • Vinho Site