• Artigos

  • Relatos

  • Dicas e
    curiosidades

  • Eventos

  • Dicas de
    viagem

Telmo Rodrigues: vinho de paisagens incríveis.

19/06/2012::Christovão de Oliveira Júnior

Mais uma vez a Mistral e seu representante em BH, José Carvalho, brindam Belo Horizonte com um evento do mais alto porte: a visita do produtor espanhol Telmo Rodrigues. Ele é um dos expoentes da vitivinicultura espanhola, sendo respeitado e admirado em todo o mundo e por todos os críticos e publicações especializadas.

Clique para ampliar

O trabalho desenvolvido por Telmo tem enorme importância no panorama vitivinícola espanhol por seu enorme conhecimento do terroir do país e principalmente por sua constante busca por locais, vinhedos e vinhos diferenciados e representativos de sua origem. Ele vem desenvolvendo seus serviços em muitas e diferentes regiões como: Ribera Del Duero, Toro, Cigales, Navarra, Rueda, Rioja, Alicante e Málaga. Nestes locais ele busca produzir vinhos de personalidade marcante e cheios de tipicidade.

Em sua experiência profissional Telmo conta com importantes passagens por Bordeaux, no Chateau Cos d'Estournel e no Rhône com Jean-Louis Chave. Ele tem em seu cartel a descoberta de rótulos históricos que já não eram mais produzidos como o “Mountain Wine” (nome dado pelos ingleses ao Moscatel de Málaga), que foi re-editado por Telmo no famoso Molino Real que é considerado um dos melhores vinhos de sobremesa do mundo. Foi, inclusive, escolhido para ser servido no jantar de gala do casamento do Principe de Asturias.

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Segundo Robert Parker “o talentoso Telmo Rodrigues produz uma ampla variedade de vinhos de alta qualidade nas duas pontas dos espectros de preços, ou seja, grandes ícones e grandes barganhas”.

Poder dividir uma mesa com Telmo foi um grande prazer. Ele se mostrou uma pessoa de fácil acesso, conversa fluente e agradável e, claro, um grande apaixonado pelo vinho e especialmente pela Espanha. Da conversa, algumas citações importantes deste produtor que teve por longo tempo a alcunha de “L'enfant terrible”:

  • Na Espanha, de um modo geral, o vigneron desapareceu e foi substituído por cooperativas e grandes indústrias.
  • O fato acima foi especialmente pronunciado na Rioja, local onde, no passado, por lei, para se produzir vinhos a condição mínima era a de se ter pelo menos 500 barricas. Isto impedia a existência de pequenos produtores artesanais.
  • A verdadeira revolução que está acontecendo na Espanha vinícola é o surgimento de vinicultores dedicados a fazer vinhos de sítios. Eles buscam expressar aromas, sabores e estilos de um determinado terroir.
  • A legislação de uma Denominação de Origem só tem sentido se ela visar PRESERVAR O GOSTO de uma área muito especial.
  • O país é visto como tradicional produtor de vinho, mas a cultura do vinho na Espanha ainda é muito deficiente e muito local. Muito trabalho existe por ser feito em prol do aumento da cultura do vinho.
  • Grandes vinhos são verdadeiros milagres.
  • A tecnologia na agricultura tem por objetivo diminuir o trabalho e aumentar a produtividade. Nem sempre isto significa trabalhar em favor da qualidade.
  • A Espanha tem uma variedade de terrenos difíceis de encontrar em outros países. O mesmo acontece com sua incrível variedade de paisagens. O país precisa evoluir para valorizar vinhos de paisagens e terrenos incríveis.

Vinhos que foram degustados durante o evento (clicar nos vinhos para ver a avaliação):

A destacar também neste evento o atendimento e a qualidade do serviço do Parrilla Urbana (Rua Curitiba, 2102 ) que só valorizou o encontro.

Clique para ampliar

Esta foi mais uma das várias oportunidades que a Mistral oferece aos enófilos mineiros de um contato com grandes personalidades do vinho mundial. BH agradece!!!

 

  • Rex Bibendi
  • Enoteca Decanter
  • Vinho Site